Folclore: Riqueza Cultural de um povo


Como diria o poeta: " Todo baiano é dançarino, músico, artesão, devoto e contador de histórias". Outros dizem que o baiano não nasce, estréia. Mas você já se deu conta da riqueza cultural desse estado que é tão repudiano Brasil a fora?


Nem todos querem admitir que o Brasil nasceu aqui, na Bahia. Foi aqui que tudo começou. Foi da calarosa e afogueada mistura de portugueses, índios e africanos que surgiu o povo baiano, um povo alegre, hospitaleiro e com ele uma variedade de ritos, festas veio de bônus, rss.


Quem vai ao interior do estado, percebe a força do vaqueiro sertanejo, mas se você for ao litoral, ou na Capital, vai se encantar com as belas baianas com seus trajes maravilhosos. Das festas religiosas, as mais importantes são a Festa de Iemanjá e a Lavagem do Bonfim.


Viu só, como o povo baiano tem um folclore riquissimo? Mais, espere aí! O que é FOLCLORE mesmo? Bem, a palavra surgiu a partir de dois vocábulos saxônicos antigos, uau, quanta palavra bonita. "Folk", em inglês, "povo" e "lore", conhecimento. Assim, folk + lore (folklore) quer dizer ''conhecimento popular''.


O termo foi criado por William John Thoms (1803-1885), um pesquisador da cultura européia que, em 22 de agosto de 1846, publicou um artigo intitulado "Folk-lore". No Brasil, após a reforma ortográfica de 1934, que eliminou a letra k, a palavra perdeu também o hífen e tornou-se "folclore". Se ligou?


Bom, pra quem anda meio na lua, segue aí algumas manifestações do folclore brasileiro. Saca só...


BUMBA-MEU-BOI - Auto ou drama pastoril que por tradição é representado durante o período natalino, como sobrevivência das festividades cristãs medievais, em que o culto do boi se fazia em homenagem ao nascimento de Cristo. De tradição luso-ibérica do século XVI, nasceu dos escravos e pessoas agregadas aos engenhos e fazendas.


PASTORIL - Festa de origem portuguesa, onde "pastoras" vestidas de azul e encarnado, se apresentam diante do presépio em atitude de louvor ao Menino Jesus. Representado durante o Natal.


DANÇA DO COCO - Surgiu nos engenhos de açúcar, entre os negros existentes no Ceará. Nasceu da cantiga de trabalho, ritmada pela batida das pedras quebrando os frutos, transformando-se, posteriormente, em dança, surgindo uma variedade de temas e formas de coco (coco de praia, do qual participa apenas o elemento masculino, e o coco do sertão, dançando aos pares, homens e mulheres). Dançado em roda, numa forma rítmica altamente contagiante e sensual.


FOLIA DE REIS - Originalmente, festa popular dedicada aos Três Reis Magos em sua visita ao Deus Menino. É caracterizada por um grupo de pessoas que visitam amigos ou conhecidos, a partir do dia 2 de janeiro ou nas vésperas dos Reis (5/1). Nas visitas eles cantam e dançam versos alusivos à data, ao som de instrumentos e solicitam alimentos e dinheiro. É tradicional utilizar a arrecadação para a ceia no dia de Nossa Senhora das Candeias (2 de fevereiro). A visita noturna tem mais graça quando se torna uma surpresa.


MARACATU - De origem africana, consiste num desfile de reis. Apresenta-se em forma de cortejo carnavalesco que baila ao som de instrumentos de percussão, acompanhando uma mulher que na extremidade de um bastão conduz uma bonequinha ricamente enfeitada - a calunga. A dança se dá em passos lentos e cadenciados.



INFORME-SE


Alguns dos dados são do velhosamigos.com.br, visite a página e saiba mais. Fui!


1 Pessoas já falaram, agora é a sua vez!:

www.bahiajah.com.br disse...

Gostei Muito Nota 9,9 rsrs,Uma Bricadeira e a Preguiça Vei da Onde?

Seguidores

O que eles falam:


Quantos já espiaram?

Boca da Discórdia

Blog da Aline

Blog da Meg

Blog do Rudd