Onde está a memória?

Você já parou para perceber que antes do surgimento da internet, era praticamente impossível rever algum fato - notícia, novela, etc - veiculado na telinha? Com o surgimento dos "youtubes" da vida, essa realidade tem tomado outros contornos. De fato a Tv que antes "não tinha memória", hoje conta com o auxílio da internet.


A duas únicas coisas, mais próximas, deste dito resgate, seriam o Video Show e o Vale a pena Ver de Novo, - Ah! O SBT está apostando no "Quem não viu, vai ver. Quem já viu, vai ver de novo", mas, os produtos "Globais" são pioneioros - ambos da Rede Globo de Televisão. Mesmo podendo pontuar a existência dos tais, não se pode esquecer que tanto um quanto outro, são mais voltados para o humor, como é o caso do Video Show e para o entretenimento, do que para a informação e estão bem aquém do aspecto ou caráter idológico, de que este texto trata.


Não se pode também insignificar a existência da Pró-TV [ Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira] criada em 1995, com o nome de APITE – Associação dos Pioneiros da TV, transformando-se depois em APPITE, agregando os demais profissionais e incentivadores.


A idéia partiu de Vida Alves, que reuniu os colegas Walter Forster, Luiz Gallon, Lia de Aguiar, Ana Maria Neumann, Walter Ribeiro dos Santos e Blota Jr.. E foi a partir daí que surgiu a associação, que a cada ano aumenta em número de colaboradores. Como meta, preserva a memória da TV e serve de ponto de encontro sobre o tema. Com shows, exposições e premiações (o Prêmio Pró-TV é uma delas).


Esse resgate tem um objetivo. A construção de um Centro de Memória sobre televisão. Atualmente a sede da Pró-TV está situada na casa de Vida Alves, que preside a entidade desde 1995. E que abdicou de outros trabalhos para servir integralmente à causa. Ela e os outros profissionais querem mais respeitabilidade e um local adequado para a preservação do meio que construíram. E todo esse esforço não está sendo em vão. Em 2000, comemoraram os 50 anos da TV com mais de 30 eventos. E no ano seguinte, conseguiram instituir no calendário oficial a data de 18 de setembro como "Dia Nacional da TV" (quando a TV Tupi foi inaugurada, em 1950).


CEST FINE


Pois bem, o fato é que muito está por fazer. Aqui na Bahia por exemplo, só no IRDEB [Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia] existe arquivos que retratam a memória da TV Baiana. Caso o pesquisador queira aprofundar seus estudos, deve se deslocar as bibliotecas públicas, ao Instituto Histórico e Geográfio e ao Arquivo Público, não há um local específico para a manufatura dos trabalhos de pesquisa voltados para essa área.


Parece até que há uma "falta de interesse", uma "mentalidade anti-historicista". Uma coisa é certa: Em meio a tanta evolução tecnológica, a população ainda carece de acervo que imortalize a memória desde veículo, que de fato é um divisor de águas na vida da população, não só do Brasil, mas do Mundo.


2 Pessoas já falaram, agora é a sua vez!:

Gleidson Oliveira disse...

Muito interessante esta sua análise, mas não querendo defender a Rede Globo, mas já defendendo, ela agora (me pareçe) criou um site onde os "arquivos intocáveis" estão para quem quiser ver.
Não me lembro do endereço, mas sei que existe.
Isso é claro que o que estará lá, será apenas o que a Globo que ;)

Jozinaldo disse...

Legal A Martéria,Vc Esqueceu Da Recordnews,
Programa jornalístico sobre diversos assuntos que contará com as imagens do arquivo da Rede Record. No ar de segunda a sábado, às 10 horas, e reapresentação aos domingos, às 17h. Apresentação de Emerson Ramos.


Apresentador

Emerson Ramos



Emerson Ramos nasceu no dia 30/10/1970 em Canoas/RS e formou-se em Jornalismo pela UFRGS em 1994. Começou a carreira fazendo reportagens em Porto Alegre para o Jornal da Band.



Na seqüência, foi para a RBSTV, afiliada da Rede Globo em Caxias do Sul/RS, como repórter do telejornal local. Sua próxima experiência foi como repórter da EPTV, afiliada da TV Globo em Ribeirão Preto/SP. Como freelancer, produziu reportagens para a TV Cultura/SP e para a TV Globo/RJ.



Entre 1996 e 2000 foi repórter da TV Globo/SP. Começou como repórter dos telejornais locais e a seguir passou a fazer reportagens para os telejornais da Rede, como Bom Dia Brasil, Jornal da Globo e Jornal Hoje. No ano seguinte foi transferido para a EPTV, afiliada da TV Globo em Campinas/SP, onde trabalhou como repórter do Jornal Nacional e dos demais telejornais da rede.



Desde janeiro de 2006, integra a equipe de reportagem do novo Jornal da Record.

Seguidores

O que eles falam:


Quantos já espiaram?

Boca da Discórdia

Blog da Aline

Blog da Meg

Blog do Rudd